Viagens

6 dicas de como viajar pra fora sem gastar muito

maio 8, 2017


Infelizmente, ainda é muito comum as pessoas pensarem que só viaja pra fora quem é rico. Com um pouquinho de planejamento aqui e ali, qualquer um consegue ir para aquele lugar que sempre sonhou em conhecer.

Resolvi mostrar que viagem não é sinônimo de riqueza e contar 6 dicas de como viajar pra fora do Brasil sem gastar muito. Também fiz uma simulação de viagem, mostrando quanto você gastaria com passagem, acomodação, alimentação, etc.

Vamos lá? 😉



Preciso começar dizendo que as dicas desse post vão ser baseadas nas minhas experiências de viagem. Então, se você sonha em fazer uma viagem com luxo, é melhor parar por aqui, porque luxo nunca fez parte das minhas viagens hahah! 😛

No meu primeiro mochilão – que aconteceu alguns anos atrás -, tive a oportunidade de conhecer 4 países (+1 país acidentalmente) e 8 cidades em aproximadamente 40 dias. Eu estava com dinheiro contado todos os dias, mas lá estava eu, realizando meu sonho de estar na Europa e vivendo a melhor experiência da minha vida.


Nas outras viagens que fiz e faço até hoje, o cenário não mudou muito: continuo anotando os gastos num bloquinho pra não me perder e realizando meus sonhos. Então a cara de riqueza nas fotos de viagem é só cara mesmo! 😛

Tudo é uma questão de prioridades: se você está comprando uma casa no Brasil, é claro que sua prioridade provavelmente não vai ser de viajar no momento. Mas se você sempre sonhou em viajar, não guarda dinheiro pra fazer isso acontecer e acaba gastando com coisas pequenas que poderia deixar de lado por um tempo, infelizmente, esse sonho vai ficar na gaveta por muuitos anos. Como falei, é só uma questão de prioridades.

Bem, vamos ao que interessa: aqui vão minhas 6 dicas de como economizar ao viajar pra fora do Brasil!



1. Acomodação: Dormindo em hostels/albergues.

Muita gente vira a cara só de pensar em dividir quarto com desconhecidos. Mas a não ser que você ache um hotel do mesmo valor que o hostel (o que é quase impossível), esse é o único jeito de economizar com acomodação. Pessoalmente, eu acho muito legal ficar em hostel, porque você acaba fazendo várias amizades e, se estiver sozinho, essas pessoas acabam tornando suas companhias da viagem (porque elas também estarão sozinhas).
A maioria dos hostels tem um armário pra você colocar suas malas com cadeado, tem cortina pra você ter privacidade, as luzes são apagadas às 10 da noite pra quem quiser dormir cedo, o café da manhã geralmente é incluso, e cada vez mais famílias estão optando por esse tipo de acomodação. É claro que você tem que olhar os comentários sobre os hostels na internet pra ver o que falam dele e pra ver se ele combina com seu estilo de vida: tem hostel que é mais pra adolescente/jovem que só quer fazer festa, tem hostel que é mais pra quem tá na cidade a negócios, hostel que é mais pra famílias, etc. Basta encontrar o tipo de hostel mais compatível com o que você procura 🙂
O site que geralmente uso pra encontrar hostels é o Hostel World (www.hostelworld.com.br).

2. Comida: Economizando nas refeições.
Se você for decidiu ficar em hostel, o café da manhã provavelmente já estará incluso, então pode riscar essa refeição do planejamento. No almoço, eu costumava almoçar em lugares baratinhos pra economizar (geralmente gastava uns €5/6 euros numa salada ou um wrap + suco). Se você consegue comer hamburguer e batata frita todo dia, McDonalds e Burger King estão aí pra salvar o orçamento com seus combos de €4 euros. Existem várias outras opções também, como comer em feirinhas de rua da cidade (que é uma maneira de conhecer a culinária local sem gastar muito), ou comprar combos que vêm sanduíche + fruta ou salgadinho + suco ou refri que os mercados da Europa geralmente vendem por uns €4 euros. Daí é só levar o almoço para um parque da cidade e fazer um piquenique improvisado! 😀
Eu optava por gastar pouco no almoço, porque preferia jantar num restaurante legal à noite. Era uma opção que eu escolhia e estava feliz com isso 🙂

3. Transporte público: Se movimentando pela cidade.
Eu adoro caminhar, então isso nunca foi um problema para mim. Também acho que é caminhando que você realmente consegue conhecer as cidades. Se você se perder, então, melhor ainda! É se perdendo que você acaba conhecendo aquela rua linda ou aquele café super charmoso. ♥
Mas é claro que não vai ser possível só caminhar pela cidade (principalmente se ela for grande). Você vai ter que usar metrô/ônibus e afins em algum ponto, mas uma ideia que sempre funciona pra mim é separar os lugares que você quer ir por região. Ou seja, no primeiro dia, você pode conhecer o bairro X e a região XX que ficam pertinho um do outro.

4. Chegando ou saindo da cidade: Indo do aeroporto até o centro.
Se você quer uma viagem barata, táxis jamais vão ser opção. Todas as cidades do mundo dispõem de ônibus, trens ou metrôs que você pega direto do aeroporto e chega até o centro da cidade. Os valores variam, mas os transportes públicos são sempre a opção mais barata.

5. Atrações da cidade: Pagando entradas dos lugares.
O que eu faço quando viajo e a grana está curta, é escolher apenas um ou dois lugares que precise pagar para entrar e preencho o restante dos dias com opções gratuitas. Pesquise “o que fazer de graça em ‘tal lugar'” no Google e veja como existem opções! Existem tours com guias de graça (em Barcelona, por exemplo), museus que não cobram entrada em certos dias do mês (como o Museu do Louvre), e outras maneiras de conhecer lugares históricos (você sabia que pode subir a Torre Eiffel a pé pagando beeem pouco?). Viu? É só pesquisar. 😉

6. Passagem aérea: O lado mais pesado da viagem.
A ferramenta que eu mais gosto de usar na hora de procurar passagem é o Google Flights (www.google.com.br/flights). É como um site comum de pesquisa de passagem: você digita de onde quer sair, pra onde você quer ir, insere as datas e voilá! Mas tem uma diferença: se você tem flexibilidade nas datas, pode clicar em cima da data escolhida e descobrir outros dias que estão mais baratos. Às vezes, uma questão de dois dias de diferença faz você economizar muito!
No entanto, se você não sabe bem pra onde ir ou está topando ir pra qualquer lugar, no campo “Para onde vai?” lá em cima, pode digitar “Europa”, por exemplo, selecionar o mês que prefere e quanto tempo pretende ficar, e pronto: várias opções de passagens vão ser exibidas na tela.
Se você bastante flexibilidade nas datas, outra opção é ficar de olho no site Melhores Destinos (www.melhoresdestinos.com.br), pois todos os dias novas promoções são divulgadas por lá.


Para ficar bem claro, vou fazer simulação de uma viagem:

Digamos que você decidiu conhecer Roma. Vai dia 15 de novembro e volta ao Brasil dia 29 de novembro. Quase 15 dias.

Acomodação: entrei no site do Hostel World e vi que o valor por noite estava na faixa de €20 euros (com café da manhã).

Alimentação: tomando café da manhã no hostel, agora só precisa pensar no almoço, jantar e alguma comidinha pra tarde. Digamos que você gaste uns €10 euros em cada refeição, então precisa reservar aí uns €25/30 por dia (o que já é um orçamento muito bom e maior do que eu tinha! Hehe).

Transporte: depende se o seu hostel for longe do centro e das atrações e se vale a pena ou não fazer um pacote válido pra semana toda. Mas para você ter uma ideia, a passagem de metrô em Roma sai por €1,50 o trecho.

Transporte para ir do aeroporto até o centro/do centro até o aeroporto: aproximadamente €10,00 o trecho.

Digamos que você não quer só ficar em Roma: decidiu conhecer Milão também. Encontrei passagens de trem por €19,90! Essa passagem é barata porque o trem é mais devagar (leva 6 horas até Milão). Quanto mais rápido for o trem, mais caro fica.

Passagem de avião: encontrei essa passagem por R$ 2.552,67 durante a simulação. 🙂 (Esse valor é muito bom, porque a faixa de preço de Florianópolis até alguma capital da Europa ultimamente tem sido de R$ 3.000 a R$3.300).


E aí, o que achou dos preços?
Aposto que são menores do que você pensava! 🙂

Espero ter instigado a sua vontade de viajar e de começar a conhecer logo esse mundão por aí ♥

Se tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários 😀

Uma boa semana pra você.

Beijos,

You Might Also Like